sexta-feira, 10 de julho de 2015

SE DEUS EXISTE POR QUE DEIXOU MEU FILHO MORRER?



SE DEUS EXISTE POR QUE DEIXOU MEU FILHO MORRER?


“É uma tristeza muito grande. Será que Deus existe? Todos os dias faço uma oração pedindo que Deus acompanhe ele nas viagens. Entro no carro ou no avião e faço uma oração. Eu não estava com ele ontem? Será que Deus existe?”. Essa frase foi dita por José Reis de Araújo, pai do cantor Cristiano Araújo, de 29 anos, morto no acidente de carro na BR-153, em Goiás. Todos ficaram conhecendo o trágico acidente de carro que vitimou o cantor e sua namorada Allana Moraes, de 19 anos.

Quando algo trágico acontece, como a perda de um filho, às vezes nos perguntamos: "Por quê?". Mas o que realmente está em nossos corações é: "Por que eu, Deus?". Na realidade o que se pensa é mais ou menos o seguinte: “Com tanta gente ruim por que Deus levou meu filho?”. Quando Deus permite que tragédias nos atinjam, frequentemente ficamos com “raiva” de Deus. Claro que quando acontece com os outros parece que está tudo bem. Mas quando é com a gente parece que Ele perdeu o controle e não nos ama como disse, ou deixou de ser soberano. 

A Bíblia fala de homens de bem, pessoas que Deus amou, que passaram por tragédias inimagináveis. Um deles foi Jó. Ele em um só dia perdeu todos os bens que possuía, além dos dez filhos que tinha (Jó 1.18-19). Já imaginou isso, numa mesma hora saber que todos os filhos morreram? No entanto, ao invés de reclamar ou ficar com raiva de Deus, ele se humilha e diz algo tremendo: “Nu deixei o ventre de minha mãe, e nu partirei da terra. O Senhor deu, o Senhor o tomou; louvado seja o Nome do Senhor” (Jó 1.21). Claro que doeu, claro que ele ficou triste, mas não é porque estamos em trevas que a luz deixa de existir.

Nesses momentos, ficamos procurando culpados. Um bode expiatório para poder apaziguar um pouco a dor. Será que foi culpa de Deus o cantor não está usando cinto de segurança? Será que foi culpa de Deus o carro não está com os pneus originais? Ou será culpa dEle o carro estar acima da velocidade? Onde estava Deus que não impediu esta tragédia? Nenhuma resposta poderá apagar a dor da saudade.

Ver um filho morrer? Deus sabe o que é isso. Ele também perdeu um filho. O homem mais importante da história morreu de forma violentíssima. E não foi para que ele se tornasse famoso ou rico. O Filho de Deus morreu pelos pecadores e indignos, como eu e você. Se alguém sabe o que é entregar um filho para enfrentar uma morte terrível, este é Deus. Conhecemos a Deus, muitas vezes, na hora da dor. E nos momentos de dor intensa, só Ele poderá nos consolar.

Em vez de estar zangado com Deus, devemos derramar nossos corações nEle em oração e então confiar que o Senhor está no controle e que Seu plano é perfeito, mesmo não entendendo. Como disse o missionário Ronaldo Lidório: “Deus está no controle dos momentos incontroláveis de nossas vidas”. Podemos continua crendo na vontade desse Deus soberano. 

João Guimarães Rosa, no livro “Grande Sertão: veredas”, já disse que: “Viver é muito perigoso... Porque aprender a viver é que é o viver mesmo”. Em outras palavras: “Viver é correr o risco da tragédia”. As tragédias nos lembram que não estamos no comando como erradamente pensamos. Que não somos tão autossuficientes como gostaríamos de ser. Milhares morrem todos os dias. Na vida nem tudo são flores (Jó 5.7; 14.1). Quantos pais perderam seus filhos hoje? A morte é uma realidade para todos. 



Antônio Pereira Jr.
oapologista@yahoo.com.br

SOLI DEO GLORIA NUNC ET SEMPER
(Somente a Deus damos a glória agora e sempre)

Nenhum comentário:

Postar um comentário