quinta-feira, 13 de agosto de 2015

A ARTE DE SER RESILIENTE...



A arte de ser resiliente…


Algumas palavras são difíceis de entender. Vez por outra precisamos procurar num bom dicionário o significado de algumas delas, pois, afinal, quase todas as boas definições estão lá – algumas não tão boas, mas pelo menos é um começo. Alguns chamam-no de pai dos burros. Nada mais irreal. O dicionário é o pai dos inteligentes, dos curiosos, daqueles que querem aprender e tirar as suas dúvidas, daqueles que não se conformam em não saber.
Uma das palavras que lembrei esses dias foi resiliência. Se alguém lhe perguntasse se você é resiliente o que diria? Sem olhar o dicionário, por favor… Resiliente não é uma palavra que usamos com frequência. Embora a vivamos quase todos os dias. Tudo bem, vou poupar seu tempo, vou lhe dá a definição que encontrei. O dicionário Michaelis define resiliência como: 1. Ato de retorno de mola; elasticidade. 2. Ato de recuar (arma de fogo); coice. 3. Poder de recuperação. 4. Trabalho necessário para deformar um corpo até seu limite elástico. Resiliência significa voltar ao estado normal, é um termo oriundo do latim “resiliens”. Possuindo vários significados para a área da psicologia, administração, ecologia e física.
Resiliência é a capacidade de voltar ao seu estado natural, principalmente após alguma situação crítica e fora do comum. Em Inglês se acrescenta o sentido de “capacidade de recuperação após um golpe”. Resumindo, pode ser: a capacidade de superar, principalmente alguma adversidade.
Podemos dizer que ser resiliente poderia significar simplesmente não deixar a bola cair. Quantos problemas, lutas, decepções, ansiedades, medos, tribulações, tempestades passamos na vida? Ser resiliente é uma arte que só se aprende depois de muitas idas e vindas da existência humana. Cada momento de dificuldade é uma oportunidade de dar a volta por cima. Como dizia uma música interpretada pelo mineiro Mário Sousa Marques Filho, mais conhecido como Noite Ilustrada: “Reconhece a queda e não desanima. Levanta, sacode a poeira e dar a volta por cima”.
O apóstolo Paulo foi muito resiliente durante toda sua vida. Ele passou inúmeras dificuldades e situações desesperadoras (2Coríntios 11). No entanto, ele disse certa vez:“Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado (a maturidade), mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus” (Filipenses 3.13-1).
Entendeu o que Paulo nos ensina? Você pode não ser perfeito, errar muitas vezes, mas o segredo é não ficar preso ao passado, imaginando como seria se tivesse tomado outra decisão. Se não tivesse dito aquilo. Se não tivesse desperdiçado a oportunidade. Se não tivesse perdido tanto tempo… Não viva de “se”… O passado já passou. Não há como mudá-lo, mas é possível fazer um amanhã melhor. Levante, sacode a poeira, dê a volta por cima. Difícil? Claro que é, nem tudo na vida é fácil. Mas a decisão de ficar sentado se lamuriando ou levantar-se e seguir em frente é sua e de mais ninguém.
Então, você é resiliente?

Pr. Antônio Pereira Jr.
(1ª Igreja Congregacional em Guarabira – PB).
E-mail: oapologista@yahoo.com.br

SOLI DEO GLORIA NUNC ET SEMPER
(Somente a Deus damos a glória agora e sempre)

Nenhum comentário:

Postar um comentário