quinta-feira, 3 de setembro de 2015

QUE TIPO DE SOLO VOCÊ É?


QUE TIPO DE SOLO VOCÊ É?



“Tudo que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6.7). A lei da semeadura é inexorável – gostou da palavra? Sempre colheremos aquilo que plantarmos. Deus nos dá a capacidade de escolher a semente, mas não o poder de mudar o que se colhe. Acontece todo o tempo. Conheço muitas pessoas que jogam ao seu redor as mais variadas sementes. Indiscriminadamente! Sem cuidado, sem preocupação. Sementes do mal. Daí, querem no fim de tudo colher o bem. 

A vida é uma eterna semeadura. Semeamos o tempo todo. Em casa com o cônjuge; com os filhos; no trabalho com os colegas; na escola... Tudo depende da sua decisão de saber o que semear. Semeie, semeie e semeie... Nunca pare de semear, mas tenha muito cuidado com a semente que escolher. Ou, como diz um provérbio chinês: “Podemos escolher o que plantar, mas somos obrigados a colher o que semeamos”. Se costumas reclamar que o terreno não é bom, que o clima não é favorável, que não é o tempo certo, que a semente pode não germinar, nunca semearás. Sua missão não é fazer germinar, é simplesmente semear... A tempo e fora de tempo! 

Eclesiastes 11.6 nos diz: “Semeia pela manhã a tua semente e à tarde não repouses a mão, porque não sabes qual prosperará; se esta, se aquela ou se ambas igualmente serão boas”. As Palavras de Cora Coralina são inspiradoras: “Se temos de esperar, que seja para colher a semente boa que lançamos hoje no solo da vida. Se for para semear, então que seja para produzir milhões de sorrisos, de solidariedade e amizade”.

Qual o tipo de semente é melhor? Existem sementes e sementes... Depende do objetivo, do tempo e de diversos fatores para a escolha certa da semente – isso no campo da agricultura. Na vida, no entanto, só existe uma semente que produz vida. A boa notícia é que a melhor semente já foi conhecida: a Palavra de Deus.

Jesus fala na parábola do semeador algo tremendo. Ele diz que a semente é a Palavra de Deus (Lucas 8.11). A semente é a mesma, os solos é que mudam. Existem vários tipos de solo: o da beira do caminho onde as sementes são facilmente capturadas pelas aves, pois o solo é duro, empedernido. O solo cheio de pedregais, onde não havia terra suficiente (quantos corações são assim?); neste a semente até germinou, mas, como não tinha terra profunda e devido ao forte calor do sol, queimou-se e secou-se, porque não tinha raiz. A outra caiu numa terra cheia de espinhos, e estes cresceram e sufocaram as sementes (conhece gente assim?); outra, no entanto, caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta – é você uma boa terra?

A Palavra de Deus é que faz gerar vida. O universo foi criado e é mantido pela Palavra de Deus (Hebreus 11.3; 1.3). E a palavra do Evangelho nos livra e liberta (Romanos 1.18; 1 Coríntios 1.21). Permita-me dar um conselho: leia o Novo Testamento, nem que seja dez minutos por dia. Ele começa com a história de Jesus e prossegue com ensinamentos riquíssimos, nas epístolas. Não seja um religioso apenas, conheça a verdade na íntegra, “in loco”. Nada melhor do que abrir a Palavra e deixar ela falar ao coração. É um livro vivo... Descubra! 

Todos estão no mesmo planeta, no mesmo solo chamado vida. Faça o bem e receberá o equivalente. Se não for dos homens, será de Deus. Portanto, lembre-se do que disse também G. Hebert, poeta e orador inglês: “Quem caminha descalço não deve semear espinhos”. Semeie flores e não dores. Por fim, a pergunta crucial que se pode fazer é a seguinte: que tipo de solo você quer ser? 



Pr. Antônio Pereira Jr.

E-mail: oapologista@yahoo.com.br

Obs: Texto baseado no capítulo do meu livro: “Tudo tem um tempo determinado”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário